5 motivos para NÃO usar um emissor grátis de nota fiscal

Problemas com o sistema

Uma das obrigações fiscais brasileiras mais difíceis de cumprir é a emissão de nota fiscal eletrônica, envolve muita tecnologia e alguns custos que alguns empresários mesmo não podendo arcar de primeira, são obrigados a cumprir. Certificado digital, computador, internet e sistema de emissão são alguns dos custos que compõem a receita da NFe

Para facilitar, o governo lançou o emissor grátis de NFe, que é bem difundido no mercado e muitas pessoas usam. Na prática, ele resolve o problema de emissão de notas, contudo, com as mudanças na legislação, o mercado e a própria tecnologia tornaram o seu uso fica cada vez mais perigoso. Rapidamente o empresário pode cair em uma cilada e ter sérios problemas com a fiscalização. Saiba 5 motivos para evitar usar o emissor grátis.

Problemas com o sistema

1 – Falta de suporte

O projeto já foi descontinuado uma vez, entretanto, algumas instituições resolveram tomar conta. A primeira foi a SEFAZ do Maranhão e, logo depois, o SEBRAE. Usando o emissor gratuito, você pode estar dependendo de uma ferramenta que está sendo passada de um responsável para outro e que, muito em breve, pode ser descontinuada de vez.

2 – Sem acesso à rede

Com esse emissor, não há uma maneira correta ou segura de ter mais de um usuário acessando o mesmo banco de dados. Ou você tem ele em um único computador ou não poderá emitir muitas notas, já que só uma nota por vez poderá ser emitida.

3- Não há emissor de NFC-e integrado

Hoje já existe a NFC-e (Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica), ou seja você terá que arranjar outro sistema para emitir outro tipo de nota que o empresário também é obrigado a emitir, ainda que esse emissor também seja grátis, você terá que manter 2 cadastros de produtos, 2 cadastros de clientes, 2 emissores de notas, em resumo o trabalho é em dobro e a dificuldade de manter 2 sistemas também

4- Não há gestão, somente emissão

O sistema grátis gera tanto trabalho quanto um sistema de gestão integrado com emissor. Você precisa cadastrar produtos, clientes, endereços, certificados digitais, etc. Em um sistema de gestão integrado você realiza uma venda e automaticamente uma movimentação financeira é realizada, a baixa do estoque é feita em tempo real, a nota é emitida e outros processos como fluxo de caixa são trabalhados. Com o emissor grátis, normalmente o processo de emissão dá mais trabalho que procurar produtos em uma lista, e ele não realiza nenhum processo de gestão, apenas emite a nota.

5- Você pode ser multado por sonegação de impostos

Imagine que você vai querer ter algum controle sobre suas mercadorias e, como já foi citado, o emissor grátis não controla estoque. Com todo o trabalho para emitir uma nota, é normal você acabar esquecendo ou deixando de emitir uma nota ou outra ao realizar uma venda. O fato de vender produtos e não registrar um comprovante fiscal pode ocasionar no enquadramento por sonegação de impostos gerando altas multas para o empresário.

 

Para saber como ter um emissor de baixo custo que resolve todos os problemas citados neste artigo clicando aqui.

Gostou desse Artigo?

Compartilhe este post!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Cadastre-se na nossa Newletter

Receba atualizações semanais dos nosso conteudos em primeira mão

Outros conteúdos que podem te interessar

Dicas & Hacks

Newsletter de Maio

Novas adaptações de mercado e de consumo estão sendo feitas em tempos de Coronavírus. Por isso, neste artigo resolvi trazer uma dica de como você

Certificado Digital para MEI
Gestão & Organização

Certificado digital para MEI

O que é um certificado digital?   O certificado digital nada mais é que uma identidade virtual que guarda as informações de uma pessoa física